Lô Pimentinha

Lô Pimentinha
Devaneios de uma mulher, filha, amiga e advogada piperácea, cujos frutos são bagas picantes. Pensamentos habitualmente utilizados como tempero do cotidiano.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Simplesmente Hera




Li recentemente que é clichê tentar não ser clichê e por isso mesmo vou começar o texto da forma que ele surgiu na minha cabeça, mesmo sendo clichê.

“Lembro-me como se fosse hoje...” Final de semana. Feriado. Páscoa. Ano 2000. Recordo-me de estar no ônibus, ligando para minha mãe e dizendo “Já estou passando pelo centro, pode vir me buscar”. E como de costume, quinze minutos depois eu já estava desembarcando na estrada do Rio Preto. Já avistava minha mãe na caminhonete.

No momento em que entrei naquele carro fui tomada por uma felicidade indescritível! Seria impossível traduzir o que foi aquele momento, porque simplesmente os sentimentos transbordariam pelas palavras.

Um ser lindo saltou em meu colo e me lambeu a face. Hera. Uma linda boxer caramelo, com o peito alvo (onde mais tarde notaríamos ter um coração desenhado em seus pêlos).

Sou obrigada a dizer que essa surpresa foi melhor do que qualquer uma que pudessem criar para o Kinder Ovo.

Há quase 11 anos Hera tem feito parte da minha vida. Lembrar dela correndo pelo campo, entrando no lago em busca das pinhas que eu jogava, sua fuça cheia de terra por esconder seus “ossinhos”, a forma como cuida dos outros bichos menores que ela, inclusive gatinhos... tudo isso faz meu coração acelerar, sentir um imenso prazer de ter sido escolhida para ser tutora deste anjo de 4 patas.

Solidária, ao meu lado quando estou triste. Companheira, quando estou doente. Especial, em qualquer momento.

Hoje em dia, com sua idade mais avançada, sua disposição bem menor, restrinjo-me a deitar ao seu lado, ouvir sua respiração, acariciá-la durante seus sonhos de corridas nas nuvens, quando posso notar o movimento de todas as suas patas tentando alcançar em alta velocidade sabe-se lá o quê!

Meu carinho é tão gigante que eternizei nossa relação de cumplicidade na tatuagem que leva sua digital e seu nome. Qualquer caminho que eu deseje traçar, ela estará comigo.

Hera... Admiro-te. Respeito-te. E, acima de tudo, amo-te como nunca achei que fosse amar.

Hoje e sempre

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Planeta Terra


Muita chuva, né? Sim. E daí?

Tem alagado? Sim. E daí?

Terra tem capacidade de absorver a água, concreto não.

“Ah, mas tem chovido mais do que o normal!”. Concordo. Mas existe um motivo plausível, não? Por óbvio que sim. A água sempre foi a mesma. O problema é que o planeta superaquecido faz com que mais água evapore, mais vapor condense e mais água caia. Acontece que chuva não vem como mísseis teleguiados. Ela não vem com mira para desaguar onde saiu. Simplesmente cai.

E esse papinho de desenvolvimento sustentável, de “vamos salvar o planeta”? Argh! Isso me enjoa!

Bando de mentirosos!! Vocês não querem salvar o planeta! Querem salvar o que usam dele! Os recursos que julgam essenciais pra a sobrevivência.

O “nosso” planeta formou-se há 4,54 bilhões de anos e as primeiras evidências de vida surgiram um bilhão de anos depois.

Há quem diga que a Terra poderá suportar vida por outros 1,5 bilhão de anos, pois após este período, o brilho do Sol terá aumentado, aumentando a temperatura no planeta, tornando o suporte da biosfera insuportável.

Como as palavras do momento são aquecimento e aceleração e não se restringem à esfera econômica, lá vai o homem dar uma mãozinha e diminuir esse tempo.

Mas lembrem-se, a vida existência a ser extirpada será a nossa, não a do planeta. Ele resistiu à solidão, aos dinossauros, aos homens pré-históricos e resistirá a nós.

Existem lugares sujeitos a terremotos, tsunamis, erupções vulcânicas, tornados, tempestades de neve, inundações, secas prolongadas.... Isso acontece agora e já acontecia antes. Não construir nessas regiões, seria fácil, não é? Não. O homem gosta de procriar indiscriminadamente, irresponsavelmente. Construir desordenadamente é dom intrínseco do homem.

Aos falsos defensores da natureza, munidos de discursos “meia boca”, uma dica: relaxem, o planeta está a salvo. O planeta sobrevive há bilhões de anos e vai sobreviver alguns mais. Sejam pelo menos sinceros nos argumentos de suas teses: “vamos salvar o que nos mantém vivos”.


"Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necesário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome." (Mahatma Gandhi)

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Maldade Humana

A maldade humana me deixa em estado de choque. Quando vejo, leio ou sinto a maldade escancarada ou mesmo escondida entrelinhas, sinto-me abismada, revoltada, atordoada, vazia e passo a sentir minha alma se desfazendo.

Maldade, independentemente do motivo ou do grau de intensidade me faz tentar penetrar nas mentes alheias para buscar entendimento.

Não há. Fato.

Lamento que os olhos arrancados desse gato que foi encontrado em uma floresta em Canoas/RS tenham sido a inspiração para este post.

Mesmo que arrancassem os meus, não seria suficiente para deixar de enxergar a crueldade impregnada na personalidade de certas pessoas, que infelizmente não são poucas.

Cabe a mim e a outras pessoas de bem, deixar claro que cometer atos fora da ética, envolvendo danos à saúde de alguém, inclusive de um animal, é um atentado aos direitos, passível de punição, não só pela “justiça dos homens”, mas pela divina também.

E assim, aos poucos vou buscando os pedaços da minha alma...


Para quem se interessar em ajudar o gatinho "Santo" seguem informações no site:

http://querserfelizadoteumbichinho.blogspot.com/2011/01/muita-maldade-gatinho-encontrado-sem-os.html


O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, e sim por aquelas que permitem a maldade.” Albert Einstein

Follow by Email