Lô Pimentinha

Lô Pimentinha
Devaneios de uma mulher, filha, amiga e advogada piperácea, cujos frutos são bagas picantes. Pensamentos habitualmente utilizados como tempero do cotidiano.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Lela, minha mãe com açúcar

Uma vida...
Um caminho percorrido...
Um destino marcado...
Uma história vivida...
Um sotaque engraçado..

Uma mãe com açúcar...

Já foi a época em que idealizava minha vó como uma velhinha sentada numa cadeira de balanço...Mas as rugas continuam sendo marcas de história, dos passos dados, das escolhas feitas, das batalhas travadas, das mágoas e das felicidades vividas.

Lutas incessantes, por seus filhos, por suas netas e, acima de tudo, por si própria.

Neste dia, mais um ciclo. Mais um ano. Mais uma vela no bolo. Não existiria outra forma de dizer que és especial, senão agradecendo absolutamente tudo que já fez por mim.

Obrigada pelos cafés na cama, pelos abraços acolhedores, pelos colos aconchegantes.

Obrigada pela doçura das palavras, pelo olhar carinhoso, pelo amor empenhado...

Obrigada por ser mi abuela, minha Lela.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Um pai, 70 anos

Ao homem que admiro,

lúcido com suas virtudes.

Ao senhor com olhar de menino,

que luta para iluminar nosso caminho.

Ao homem simples e complexo,

cheio de energia a nos passar.

Ao dono do abraço aconchegante,

e dos gritos penetrantes.

Ao mestre contador de histórias,

que traz no coração tantas memórias.

Ao homem doce e brincalhão e

ao mesmo tempo duro e turrão.

Ao homem sensível e sonhador,

feito um poeta devaneador.

Ao pai, conselheiro, leal companheiro,

Felicidades, agora e sempre.

Follow by Email