Lô Pimentinha

Lô Pimentinha
Devaneios de uma mulher, filha, amiga e advogada piperácea, cujos frutos são bagas picantes. Pensamentos habitualmente utilizados como tempero do cotidiano.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Preces

Eu gostaria que tudo tivesse sido diferente. Se não tudo, pelo menos parte.

Queria que a vida, o tempo ou Deus fosse a favor de nós. No fundo sei que ele é.

Mas como explicar a dor do choro de uma criança que sente saudades? Como explicar que toda a força dela não foi suficiente para permanecer aqui?

Sonhos. Agora nos encontramos nos sonhos.

Esses encontros são marcados ou mero acaso? Nunca saberei.

Hoje parecemos um barco sem timão. Nos fazemos presentes uns aos outros na esperança de nos manter em alguma direção.

Agora, o único que nos gruda à vida são as preces.

Sentimos muito a sua falta, Ci.

"Quando a saudade é demais, não cabe no peito e escorre pelos olhos."

Follow by Email